Treinamento técnico-social de alunos em projeto de esterilização em cães e gatos

Resumo

Introdução: O curso de Medicina Veterinária tem como intuito maior formar profissionais liberais. Os alunos devem sair da graduação capazes de atuar no mercado de trabalho, entretanto para uma boa atuação profissional é necessário prática. Os projetos de extensão dentro da graduação colaboram com o treinamento dos alunos para que saiam mais preparados para a vida profissional. O curso de Medicina Veterinária da Unesp-Araçatuba criou em 2000 um projeto de castração de cães e gatos totalmente administrado e executado por alunos do 4º ano de graduação. Objetivos: Treinar os alunos para administração de recursos, interlocução com proprietários e fornecedores e ainda aperfeiçoamento da técnica cirúrgica e anestésica. Métodos: São utilizados cães e gatos de ambos os sexos, hígidos, com idade superior a 4 meses, pertencentes a proprietários carentes.Nos machos realiza-se a orquiectomia e nas fêmeas a ovariosalpingo-histerectomia (OSH), sendo o protocolo anestésico adaptado conforme sexo e idade do animal. Tendo como opções para fêmeas a anestesia dissociativa e geral inalatória e para os machos a anestesia dissociativa associada a bloqueio regional e epidural totalmente adequadas para atender às necessidades das respectivas cirurgias. As fêmeas são colocadas na fluidoterapia para facilitar atendimento emergencial. As cirurgias são efetuadas às terças-feiras, das 11 às 13 horas, por 12 alunos do 4º ano de graduação, supervisionados por duas professoras das áreas da Técnica Cirúrgica e Obstetrícia Veterinária, contando com auxílio de residentes. Resultados: Desde o início do projeto até o presente momento foram castrados, entre machos e fêmeas, 827 animais. Conclusão: A experiência profissional adquirida pelos alunos participantes do projeto contribuiu este ano para melhora do protocolo anestésico que passou a ser mais seguro e econômico.

Descrição

Palavras-chave

Como citar

CONGRESSO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA, 3., 2005, Águas de Lindólia. Anais... São paulo: PROEX; UNESP, 2005. p. 018