Empresários, interesses e ação política: uma crítica da dominação gestionária

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2021-03-02

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O empresariado é um ator político, devidamente situado em um ambiente institucional e que interfere, de acordo com os padrões de justificação de sua ação coletiva, na vida política das cidades. Com base nesse pressuposto, estudamos a atuação do empresariado na cidade de Maringá, Paraná, a partir da organização do Conselho de Desenvolvimento Econômico - Codem, regulado por lei municipal em 1996, onde uma elite estratégica, recrutada na Associação Comercial local exerce o controle institucional e negocia politicamente com o poder público, fazendo de sua ação uma força produtora de consideráveis impactos nas variáveis sociais e econômicas do município a partir da elaboração de agendas políticas de desenvolvimento denominadas de Maringá 2020, Maringá 2030 e Maringá 2047. Essas agendas foram desenvolvidas a partir de técnicas de gestão empresarial passando a ser um modelo a ser seguido pelo Executivo de 1997 até os dias atuais. Este modelo de excelência na gestão é um contraponto à gestão pública e acabou alijando das discussões sobre o desenvolvimento econômico local outros atores que não fazem parte da elite dirigente, como por exemplo os movimentos sociais e o poder Legislativo. A tese que procuramos desenvolver é que em Maringá se estabeleceu uma forma de dominação gestionária, priorizando os interesses da elite empresarial em detrimento de outros projetos de cidade, buscando anular o conflito por meio do consenso institucional. Para a consecução dos nossos objetivos de análise utilizamos a teoria sociológica elaborada por Luc Boltanski, Laurent Thévenot e Ève Chiapello que consideram os modelos de justificação e legitimação das ações da elite empresarial baseada na Teoria das cités, cuja matriz analítica serve de referência para se construir um quadro com os principais valores, perfis e dispositivos que estão em jogo, nas situações em que se realizam as ações coletivas do empresariado, considerando que elas se estruturam em rede e visam, na opinião dos próprios empresários, à sua ampliação e aos benefícios para o bem da sociedade civil organizada. Desse modo, denominamos nesta tese a cité por Projetos como aquela que está estruturada em uma nova relação entre a cidade e as ferramentas de gestão, as mais variadas quanto possível, em ciclo marcado pelo tempo do mercado, o que impede investimentos críticos de outros atores sociais, uma vez que as políticas públicas de desenvolvimento econômico e social estão assentadas na lógica empresarial e concorrencial. Desenvolvemos ainda um aparato crítico, baseado no pensamento social de Boltanski, que desconstrói essa lógica apontando as assimetrias da dominação gestionária. Embora a pesquisa se estruture em um estudo de caso local, os projetos geridos pela elite estratégica de Maringá foram replicados em diversos outros municípios do Brasil tendo sempre o mesmo pano de fundo: a ação empresarial e a dominação gestionária.
The business community is a political actor, properly situated in an institutional environment and that interferes, according to the justification standards of its collective action, in the political life of cities. Based on this assumption, we studied the performance of the business community in the city of Maringá, Paraná, founded on the organization of the Economic Development Council - Codem, regulated by municipal law in 1996, where a strategic elite, recruited from the local Commercial Association, exercises institutional control and politically negotiates with the government, making its action a force that produces considerable impacts on the social and economic variables of the municipality from the development of political development agendas called Maringá 2020, Maringá 2030 and Maringá 2047. These agendas were developed from business management techniques becoming a model to be followed by the Executive Branch from 1997 to the present day. This model of excellence in management is a counterpoint to public management and ended up leaving other actors who are not part of the ruling elite, such as social movements and the Legislative Branch, out of the discussions about local economic development. The thesis that we seek to develop is that in Maringá a form of managerial domination was established, prioritizing the interests of the business elite over other city projects, seeking to cancel the conflict through institutional consensus. To achieve our analysis objectives we used the sociological theory developed by Luc Boltanski, Laurent Thévenot and Ève Chiapello who consider the models of justification and legitimization of the actions of the business elite based on the Theory of cités, whose analytical matrix serves as a reference to build a table with the main values, profiles and devices that are at stake, in the situations in which the collective actions of the business community are carried out, considering that they are structured in a network and aim, in the opinion of the businesspersons themselves, for their expansion and the benefits for the good of organized civil society. Thus, in this thesis, we define the cité as Projects as one that is structured in a new relationship between the city and the management tools, as varied as possible, in a cycle marked by the time of the market, which prevents critical investments from other actors social, since public policies for economic and social development are founded on business and competitive logic. We have also developed a critical apparatus, based on Boltanski's social thinking, which deconstructs this logic by pointing out the asymmetries of managerial domination. Although the research is structured in a local case study, the projects managed by the strategic elite of Maringá have been replicated in several other municipalities in Brazil, always with the same background: business action and managerial domination.
La comunità imprenditoriale è un attore politico, debitamente inserito in un contesto istituzionale e che interferisce, secondo gli standard giustificativi della sua azione collettiva, nella vita politica delle città. Sulla base di questo assunto, abbiamo studiato le prestazioni della comunità imprenditoriale nella città di Maringá, Paraná, sulla base dell'organizzazione del Consiglio per lo Sviluppo Economico - Codem, regolato dalla legge municipale nel 1996, dove un'élite strategica, reclutata dall'Associazione commerciale locale esercita il controllo istituzionale e negozia politicamente con il governo, rendendo la sua azione una forza che produce impatti considerevoli sulle variabili sociali ed economiche del comune dallo sviluppo di programmi di sviluppo politico chiamati Maringá 2020, Maringá 2030 e Maringá 2047. Questi programmi sono stati sviluppati a dalle tecniche di gestione aziendale diventando un modello da seguire per l'Esecutivo dal 1997 ad oggi. Questo modello di eccellenza nella gestione fa da contrappunto alla gestione pubblica e ha finito per lasciare altri attori che non fanno parte dell'élite dominante, come i movimenti sociali e il ramo legislativo, fuori dalle discussioni sullo sviluppo economico locale. La tesi che cerchiamo di sviluppare è che a Maringá è stata stabilita una forma di dominio manageriale, dando priorità agli interessi dell'élite imprenditoriale rispetto ad altri progetti cittadini, cercando di annullare il conflitto attraverso il consenso istituzionale. Per raggiungere i nostri obiettivi di analisi abbiamo utilizzato la teoria sociologica sviluppata da Luc Boltanski, Laurent Thévenot e Ève Chiapello che considerano i modelli di giustificazione e legittimazione delle azioni dell'élite imprenditoriale basati sulla Teoria delle cités, la cui matrice analitica funge da riferimento per costruire una tabella con i principali valori, profili e dispositivi che sono in gioco, nelle situazioni in cui vengono svolte le azioni collettive degli imprenditori, visto che sono strutturate in rete e mirano, a giudizio degli stessi imprenditori, alla loro espansione e ai benefici per il bene della società civile organizzata. Così, in questa tesi chiamiamo la cité per i Progetti come quella che si struttura in un nuovo rapporto tra la città e gli strumenti di gestione, il più vario possibile, in un ciclo scandito dal tempo del mercato, che impedisce investimenti critici di altri attori sociale, poiché le politiche pubbliche per lo sviluppo economico e sociale sono basate su logiche di business e competitive. Abbiamo anche sviluppato un apparato critico, basato sul pensiero sociale di Boltanski, che decostruisce questa logica evidenziando le asimmetrie della dominazione manageriale. Sebbene la ricerca sia strutturata in un caso di studio locale, i progetti gestiti dall'élite strategica di Maringá sono stati replicati in diversi altri comuni del Brasile, sempre con lo stesso sfondo: azione imprenditoriale e dominio del management.

Descrição

Palavras-chave

Empresariado, Ação coletiva, Elite estratégica, Dominação gestionária, Teoria crítica, Business community, Collective action, Strategic elite, Management domination, Critical theory, Imprenditorialità, Azione collettiva, Élite strategica, Dominio del management

Como citar