Vozes de trabalhadores na ditadura civil-militar: ensaios sobre literatura, memória e testemunho

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2014-07-02

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

This doctoral research intends to contribute to the work of comprehension of violence in the civil-military dictatorship in Brazil (1964-1985) and focuses on the living conditions of the working class during those times. In order to obtain information, I looked for evidence of the working class in narratives published in this epoch. I primarily considered texts which portrayed this period, while paying special attention to narrative forms which were used to describe the way of living of the workers during the civil-military dictatorship. I worked with narratives and testimonies published by the writers Murilo Carvalho, Roniwalter Jatobá and Antônio Possidônio Sampaio. In my understanding did the three authors have used testimonial literature to accomplish their own work. Testimony literature emerges from the literary or extra-literary need to find a means of narrating violence. These written pieces that include some traces of testimony are situated in between literature, narrative, history and politics and establish hereby specific bonds between narrative and reality. The choice of this topic was based on the articulation of issues between the field of Brazilian literature, the area of social sciences which is focused on the working class and the need for understanding what the living conditions of the working class were like during the civil-military dictatorship. In t his sense, the research is based on the following demand which exists nowadays in our society: the need of raising awareness of around the repression and the crimes committed against the working class, for which the Brazilian state and civil agents involved in it are responsible
Esta pesquisa de doutorado busca contribuir com o trabalho de elaboração da violência causada pela ditadura civil-militar (1964-1985), e tem como foco de análise as condições de vida da classe trabalhadora nesse momento histórico. Para sua realização investiguei a presença dos trabalhadores em narrativas publicadas no período da ditadura civil-militar. Especificamente, voltei minha atenção para narrativas que retrataram o período, procedimento que faz da pesquisa também uma investigação sobre as formas narrativas utilizadas para figurar o modo de vida dos trabalhadores durante a ditadura civil-militar no Brasil. Trabalhei com narrativas e depoimentos publicados pelos escritores Murilo Carvalho, Roniwalter Jatobá e Antônio Possidônio Sampaio. Defendo que os três escritores se valeram da literatura de testemunho para realizar suas obras. A literatura de testemunho surge da necessidade literária ou extraliterária de encontrar formas para narrar a violência. As obras que trazem em sua forma traços do testemunho estão situadas em um ponto de convergência entre literatura, narrativa, história e política, característica que estabelece vínculos específicos entre narrativa e realidade. A escolha do objeto se embasa em questões que articulam o campo dos estudos literários no Brasil, o campo de estudos das ciências sociais voltados para a classe trabalhadora e a necessidade de entender como foram as condições de vida dos trabalhadores na ditadura civil-militar. Nesse sentido, o trabalho de pesquisa se aproximou de uma demanda social existente em nossa sociedade: a necessidade de trazer à tona a repressão e os crimes cometidos contra a classe trabalhadora cujos responsáveis são o Estado brasileiro e agentes civis a ele articulados

Descrição

Palavras-chave

Trabalhadores, Análise do discurso narrativo, Ciências sociais, Social sciences, Brasil - História - 1964-1985

Como citar

MEDINA, Ettore Dias. Vozes de trabalhadores na ditadura civil-militar: ensaios sobre literatura, memória e testemunho. 2015. 141 f. Tese (Doutorado) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciencias e Letras (Campus de Araraquara), 2015.