Extrato de folhas de morus nigra L.: prospecção de novo ativo e sua aplicação em produto cosmetodermatológico

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2016-08-26

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Desde a antiguidade, as plantas são utilizadas com finalidade curativa e, além do emprego na terapêutica, os extratos vegetais têm sido amplamente utilizados na indústria cosmética, como ativos, uma vez que sua composição complexa pode proporcionar efeitos benéficos mais intensos do que substâncias puras. Dados da literatura apontam que amoreira preta (Morus nigra L.) contém alta quantidade de compostos fenólicos, incluindo flavonoides, os quais promovem efeitos antioxidante, anti-inflamatório, antibacteriano. Por isso, neste trabalho, foram obtidos quatro tipos de extratos de folhas de Morus nigra L. (aquoso - EAq, hidroetanólico 50% – E50, hidroetanólico 70% – E70 e hidroetanólico 90% – E90), determinado o teor de compostos fenólicos e flavonoides totais e avaliado o potencial antioxidante, a fim de determinar qual o extrato mais eficaz para utilização como ativo cosmetodermatológico. O extrato que apresentou melhor atividade antioxidante, foi utilizado para avaliação da citotoxicidade em células HepG2, HaCat e HDFa, avaliação do efeito quimioprotetor em células HepG2 e HaCat e avaliação ao estimulo à biossíntese de colágeno. Também foi desenvolvida uma emulsão, na qual o extrato foi incorporado e para posterior caracterização reológica. Os resultados obtidos indicaram que os quatro extratos contêm compostos fenólicos e flavonoides apresentando efeito antioxidante, porém, o que apresentou maior teor e maior efetividade foi o E70. Desta forma, foi avaliada a citotoxicidade do E70 o qual apresentou segurança de uso nas concentrações necessárias para obter efeito antioxidante frente a espécies reativas radicalares e não radicalares, tais como ânion radical superóxido, ácido hipocloroso e na prevenção de lipoperoxidação em sistema modelo. Não foi verificado efeito quimioprotetor frente a células HepG2 e HaCat , fato esperado uma vez que o extrato não apresentou atividade frente à captura de H2O2 in vitro. No entanto, com os resultados obtidos, foi possível concluir que o extrato hidroetanólico 70o GL de folhas de Morus nigra L. é um candidato a uso como ativo cosmetodermatológico para produtos que previnem o envelhecimento cutâneo.
Since ancient times the plants are used with curative purpose. Besides employment in therapy, plant extracts have been widely used in the cosmetic industry as active, because their complex composition. The extracts can provide more intense beneficial effects than pure substances. Literature data show that black mulberry (Morus nigra L.) contains phenolic compounds, including flavonoids, which promote antioxidant, anti-inflammatory, antibacterial effects. Therefore, in this study we were obtained four Morus nigra L. leaf extracts (aqueous - EAq, hydroethanol 50% - E50, hydroethanol 70% - E70 and hydroethanol 90% - E¬90). The total phenolic compounds, total flavnoid and antioxidant potential are evaluated in order to verify the most effective for use as cosmetic active. The extract that showed better antioxidant activity, was used to evaluation for cytotoxicity in HepG2, HaCaT and HDFa cells, quimioprotetor effect on HepG2 and HaCaT cells and stimulate collagen biosynthesis. The extract has been incorporated on emulsion and their rheological characterization was also developed. The results indicated that the four extracts contain phenolic compounds and flavonoids having antioxidant effect, however, with the highest levels was observed to E70. Thus, the cytotoxicity of E70 was measured and their use is considered safety at the concentrations required for antioxidant activity against biological radicals, such as superoxide anion, hypochlorous acid and prevention of lipid peroxidation. There was no effect quimioprotetor front of HepG2 and HaCaT cells. This fact was expected since the extract showed no activity against H2O2 capture in vitro. However, it was concluded that the E70¬ is a candidate for use as cosmetic active in products to prevent skin aging.

Descrição

Palavras-chave

Fitocosmético, Morus nigra L., Amoreira preta, Antioxidante, Envelhecimento cutâneo, Phytocosmetic, Morus nigra L., Antioxidant, Skin aging

Como citar