Uso de antibióticos no tratamento periodontal não cirúrgico de pacientes diabéticos: revisão sistemática.

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2020-10-04

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

As doenças periodontais e a diabetes mellitus apresentam uma relação bidirecional e têm se mostrado patologias de grande relevância em âmbito mundial. Devido a desregulação de respostas inflamatórias e dificuldade de cicatrização, o tratamento periodontal em pacientes diabéticos vem sendo discutido e a associação de antibióticos ao tratamento periodontal não cirúrgico é tema de diversos estudos clínicos em humanos. O objetivo desta revisão sistemática foi avaliar os efeitos desta associação, em âmbito sistêmico e local, em pacientes diabéticos tipo 1 e 2. A pesquisa inicialmente contemplou 400 estudos, em três bases de dados, sendo elas: MEDLINE/PubMed, Scopus e Web of Science e a estratégia foi desenvolvida utilizando vocabulário controlado “Medical Subject Headings” (MeSH). Foram incluídos estudos clínicos randomizados em pacientes portadores de diabetes mellitus e periodontite em que os autores realizaram tratamento periodontal não cirúrgico associado a antibioticoterapia. Os critérios de exclusão, por sua vez, foram: revisões de literatura, relato de caso clínico, série de casos, falta de dados clínicos periodontais, uso de antimicrobianos com doses baixas e estudos não publicados em língua inglesa. Depois de analisar resumos e artigos completos, foram adicionados à revisão um total de 25 estudos clínicos randomizados, sendo 8 estudos sobre associação de antibióticos locais e 17 estudos sobre associação de antibióticos sistêmicos. Os parâmetros periodontais de análise principais foram: profundidade de sondagem (PS), nível de inserção clínica (NIC) e sangramento à sondagem (SS). Na análise dos resultados pode-se concluir que a associação do tratamento periodontal não cirúrgico e antibióticos locais ou sistêmicos demonstra, na maioria das vezes, benefícios clínicos adicionais. No entanto, devido ao aumento do surgimento de bactérias resistentes e aos efeitos colaterais, o uso de antibioticoterapia no tratamento periodontal não deve ser realizado de forma irrestrita. Muitos antibióticos possuem bons resultados e alguns ainda foram pouco abordados, então sua escolha depende também de características de ação e administração.
Periodontal diseases and diabetes mellitus have a bidirectional relationship and have been shown to be pathologies of great relevance worldwide. Due to the dysregulation of inflammatory responses and difficulty in healing, periodontal treatment in diabetic patients has been discussed and the association of antibiotics with non-surgical periodontal treatment is the subject of several clinical studies in humans. Therefore, the aim of this systematic review was to assess the effects of this association, at a systemic and local level, on type 1 and 2 diabetic patients. The research initially covered 400 studies in three databases, namely: MEDLINE / PubMed, Scopus and Web of Science and the strategy was developed using controlled vocabulary “Medical Subject Headings” (MeSH). Randomized clinical studies were included in patients with diabetes mellitus and periodontitis in which the authors underwent non-surgical periodontal treatment associated with antibiotic therapy. The exclusion criteria, in turn, were: literature reviews, clinical case report, case series, lack of periodontal clinical data, use of low dose antimicrobials and unpublished studies in English. After analyzing abstracts and full articles, a total of 25 randomized clinical studies were added to the review, with 8 studies on the association of local antibiotics and 17 studies on the association of systemic antibiotics. The main periodontal analysis parameters were: probing depth (PD), Clinical Attachment Level (NIC) and Bleeding on probing (BOP). After analyzing the results, it can be concluded that the association of non-surgical periodontal treatment to local or systemic antibiotics demonstrates, in most cases, additional clinical benefits. However, due to the increase in the emergence of resistant bacteria and side effects, the use of antibiotic therapy in periodontal treatment should not be performed without restriction. Many antibiotics have good outcomes, and some have not been addressed much, so their choice also depends on their characteristics of action and administration.

Descrição

Palavras-chave

Antibióticos, Antibacterianos, Diabetes mellitus, Doenças periodontais, Periodontal diseases

Como citar