Características químico-mineralógicas e cerâmicas da matéria-prima utilizada pelo polo cerâmico de Rio Verde de Mato Grosso, MG

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2015-07-01

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

The Ceramic Region of Rio Verde de Mato Grosso (MS) uses as raw material sedimentary rocks attributed to Ponta Grossa Formation (Devonian, Paraná Basin). This region produces bricks, roof tiles, rustic ceramic tiles of cotto type, using extrusion processes. Due to defects present in their products, a medium-sized ceramic industry, located in Rio Verde de Mato Grosso, requested aid to determine the causes for defects, aiming to solve, control or minimize production losses. Preliminary studies show that part of the production problems are related to mineralogical, textural and chemical aspects of raw material, which should be best characterized. The objectives were achieved through geological survey carried out in the Rio Verde de Mato Grosso-Coxim region, to detail the identified rock types (shales, siltstones, mudstones and sandstones) and collect representative samples, to permit petrographic, mineralogical and chemical analysis and technological tests. These rock types are composed of kaolinite, illite and/or thin mica, quartz and detrital feldspars with very fine sand grain to fine silt and its contaminants: organic matter, pyrite nodules and/or iron oxy-hydroxides, carbonatic and phosphatic levels, veins consisting of calcium sulfate and calcium carbonate, and sulfates and calcium carbonate efflorescence. Based on the above, this work intends to characterize, on the mineralogy, texture, chemical composition and ceramic behavior, the different rock types belonging to the Ponta Grossa Formation, which outcrops in ceramic region of Rio Verde de Mato Grosso
O Polo Cerâmico de Rio Verde de Mato Grosso (MS) utiliza, basicamente, como matéria-prima rochas sedimentares alteradas a semi-alteradas que afloram na região, atribuídas à Formação Ponta Grossa (devoniano da Bacia do Paraná). O polo produz tijolos, telhas, lajes e revestimentos cerâmicos do tipo cotto, todos utilizando o processo de extrusão. Em função de defeitos presentes no revestimento cerâmico, uma indústria cerâmica de médio porte, localizada em Rio Verde de Mato Grosso, solicitou auxílio para determinar as causas geradoras dos defeitos, com intuito de solucionar, controlar ou minimizar as perdas de produção. Os trabalhos preliminares mostram que parte dos problemas de produção estão relacionados a aspectos mineralógicos, texturais e químicos da matéria-prima, que deveriam ser melhor caracterizados. Para atingir os objetivos do trabalho, foi realizado levantamento geológico em frentes de lavra na região de Rio Verde de Mato Grosso-Coxim (MS), visando o detalhamento dos litotipos (folhelhos, siltitos, argilitos e arenitos) e coleta de amostras representativas destes, para realização de análises (petrográfica, mineralógica e litoquímica) e ensaios tecnológicos em laboratório. Estes litotipos são constituídos basicamente por caulinita, illita e/ou mica fina, quartzo e feldspatos detríticos com granulação de areia muito fina a silte fino e tem como contaminantes: matéria orgânica, nódulos de pirita e/ou oxi-hidróxidos de ferro, níveis carbonáticos e fosfáticos, lâminas constituídas por sulfato de cálcio, mais raramente carbonato de cálcio e eflorescência de sulfatos e carbonato de cálcio. Com base no exposto, o presente trabalho caracteriza, quanto à mineralogia, textura, composição química e comportamento cerâmico, os diferentes litotipos pertencentes à Formação Ponta Grossa, que afloram na região do Polo Cerâmico de Rio Verde de Mato Grosso

Descrição

Palavras-chave

Materials science, Ciência dos materiais, Ceramica - Industria, Mineralogia, Geoquimica, Paleontologia - Devoniano, Mato Grosso do Sul

Como citar

MONTIBELLER, Cibele Carolina. Características químico-mineralógicas e cerâmicas da matéria-prima utilizada pelo polo cerâmico de Rio Verde de Mato Grosso, MG. 2015. 115 f. Dissertação - (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Geociências e Ciências Exatas, 2015.