Avaliação do reparo ósseo com Bio-Oss® associado ao raloxifeno em levantamento de seio maxilar de coelhos

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2021-02-17

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O objetivo deste estudo foi analisar o potencial do Bio-oss® otimizado pelo processamento ultrassônico e associação com o raloxifeno no reparo ósseo em aumento de seio maxilar de coelhos. A associação dos materiais pesquisados foi realizada pelo processamento ultrassônico com 80% de Bio-oss e 20% de Raloxifeno. Para tanto, 8 coelhos (Oryctolagus cunilicus), machos, 6 meses de idade foram submetidos ao levantamento de membrana do seio maxilar bilateralmente, em seguida os seios maxilares foram preenchidos pelos biomateriais, de acordo com o grupo experimetal, sendo 4 animais (8 seios) por grupo: grupo 1 (BS) foi realizada a aplicação do Bio-oss submetido ao processamento ultrassônico sem raloxifeno, nos dois seios. O grupo 2 (BR) foi realizada a aplicação do Bio-oss com processamento ultrassônico juntamente ao raloxifeno, nos dois seios. Foi realizada eutanásia de 2 animais de cada grupo após 2 semanas da enxertia, para análise histométrica de osso neoformado, tecido conjuntivo e material remanescente, e para as reações de imunoistoquímica através do anticorpo primário contra Runx2. Já com 6 semanas, os outros 2 animais de cada grupo foram submetidos a eutanásia para avaliação de parâmetros histométricos (HE) e imunohistoquímicos para OCN, OPG, RANKK-L e TRAP. Os resultados obtidos mostraram superioridade para o grupo BS, que apresentou mais organização tecidual no período de 14 dias, além de maior quantidade de tecido ósseo neoformado aos 14 e 42 dias (p<0,05). A avaliação imunoistoquímica revelou similaridade entre os escores para ambos os grupos, independente do tempo e proteína analisada. Conclui-se que a adição do raloxifeno, pelo processamento ultrassônico, aumentou reduzindo a quantidade de osso neoformado.
The aim of this study was to analyze the potential of Bio-oss® optimized by the ultrasonic process and association with raloxifene in bone repair in rabbit maxillary sinus augmentation. The association of the researched materials was carried out by the ultrasonic process with 80% Bio-oss and 20% Raloxifene. Eight male rabbits (Oryctolagus cunilicus), six-months of age were subjected to a bilateral maxillary sinus lifting and, they were filled with biomaterials according to two groups, with four animals (eight maxillary sinus) per group: group 1 (BS) Bio-oss was subjected to ultrasonic process without raloxifene in both sinuses. Group 2 (BR) performed the application of the Bio-oss subjected to ultrasonic process together with raloxifene in both sinuses. The euthanasia of two animals for each group was performed two weeks after grafting, for histometric analysis of newly formed bone, connective tissue, and remaining material, and for immunohistochemical reactions using the primary antibody against Runx2. At 6 weeks, the other two animals for each group were euthanized to evaluate histomorphometric (HE), and immunohistochemical parameters for OCN, OPG, RANK -L, and TRAP. The results obtained showed superiority for the BS group, which presented more tissue organization in the period of 14 days, in addition to a greater amount of new bone tissue at 14-, and 42- days (P<0.05). The immunohistochemical evaluation revealed a similarity between the scores for both groups, regardless of the time and protein analyzed. It is concluded that the addition of raloxifene, through the ultrasonic process, increases the inflammatory process in the initial period, reducing bone repair.

Descrição

Palavras-chave

Coelhos., Transplante ósseo., Otimização., Seio maxilar., Bone transplantation, Maxillary sinus

Como citar