Implicações éticas da virada informacional na Filosofia

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2012-08-20

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O objetivo desta dissertação é analisar implicações éticas da “virada informacional na Filosofia”, com especial ênfase no problema da privacidade informacional. Este problema pode ser entendido como a dificuldade de se analisar a privacidade à luz da inserção de tecnologias informacionais na vida cotidiana. Para alcançar este objetivo, dividimos a dissertação em quatro capítulos. No primeiro, analisamos os pressupostos centrais da “virada informacional na Filosofia” (Adams, 2003), principalmente no que diz respeito à investigação mecânico-informacional da mente. Uma vez que tal virada também tem por base central o projeto de naturalização do significado, no segundo capítulo, desenvolvemos uma discussão acerca deste tópico. Entendemos que o desenrolar da “virada informacional na Filosofia” foi responsável pela constituição de um cenário informacional na Filosofia, o qual propiciou o surgimento da Filosofia da Informação e da Ética Informacional. Assim, no capítulo três, analisamos os pressupostos dessas novas áreas de estudo da Filosofia. É no contexto da Ética Informacional que o problema da privacidade informacional é investigado. No capítulo quatro, indicamos razões do porquê a privacidade se torna um problema no âmbito das tecnologias informacionais e propomos uma abordagem sistêmica para analisar a privacidade neste contexto. Julgamos que esta abordagem fornece um método de análise que possibilita a compreensão dos limites do que é considerado privado pelos indivíduos, mesmo em ambientes virtuais. Por fim, retomamos as hipóteses levantadas no decorrer da dissertação e apresentamos outros problemas presentes no escopo de estudo da privacidade no contexto informacional de modo a contribuir para a compreensão dos novos rumos da pesquisa filosófica na “Era da Informação”
The goal of this dissertation is to analyze ethical implications of the “Informational Turn in Philosophy”, with a special emphasis on the problem of informational privacy. The dissertation is divided into four chapters. In the first, we analyze the central assumptions of the “Informational Turn in Philosophy” (Adams, 2003), focusing especially on mechanical-informational research on the mind. Since this “turn” also has the naturalization of meaning at its roots, in the second chapter we discuss this topic. We understand that the course taken by the “Informational Turn” was responsible for the establishment of an informational scenario in Philosophy, giving rise to the Philosophy of Information and Information Ethics. In light of this, in the third chapter we analyze the assumptions of these new areas of research. It is within Information Ethics that the problem of informational privacy is investigated. In the fourth chapter, we show how privacy constitutes a problem in the area of informational technologies, and we propose a systemic approach to analyzing privacy in this setting. We believe this approach provides a method, which allows an understanding of the limits of what is considered private by certain individuals, even in virtual environments. Finally, we review the hypotheses discussed in the dissertation and point out other problems within the scope of research on privacy in an informational context, so as to contribute to the understanding of new directions taken by philosophical research in the “Information age”

Descrição

Palavras-chave

Direito a privacidade, Tecnologia da informação, Ética, Filosofia da mente

Como citar

MORAES, João Antonio de. Implicações éticas da virada informacional na Filosofia. 2012. 111 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Filosofia e Ciências de Marília, 2012.