Atividade antimicrobiana de própolis de Apis mellifera obtidas em três regiões do Brasil

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2006-02-01

Autores

Fernandes Júnior, Ary [UNESP]
Lopes, Marcelo Milanda Ribeiro [UNESP]
Colombari, Viviani [UNESP]
Monteiro, Aydir Cecília Marinho [UNESP]
Vieira, Eliane Passarelli [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)

Resumo

As propriedades biológicas da própolis de Apis mellifera são amplamente relatadas sendo comuns variações nas mesmas em função da região onde foram produzidas. A ação antimicrobiana de própolis obtidas em três regiões do Brasil (Botucatu-SP, Mossoró-RN e Urubici-SC) foi investigada sobre linhagens isoladas de infecções clínicas humanas (Staphylococcus aureus, Escherichia coli, Enterococcus sp, Pseudomonas aeruginosa e Candida albicans). Foram preparados extratos alcoólicos de própolis (EAP) e determinada a Concentração Inibitória Mínima (CIM) seguida do cálculo da CIM90%. A própolis de Botucatu foi a mais eficiente sobre S. aureus (0,3%v/v), Enterococcus sp (1,1%v/v) e C. albicans (2,1% v/v). Para E. coli, a própolis eficiente foi de Urubici (7,0%v/v) e para P. aeruginosa a de Mossoró (5,3%v/v). Os resultados mostram maior sensibilidade das bactérias Gram positivas e levedura em relação às Gram negativas. É possível concluir que, para os microrganismos testados e amostras de própolis testadas, há diferenças na atividade antimicrobiana em função do local de produção e que isso se explica pela diferença de composição química da própolis.
The antimicrobial activity of Apis mellifera propolis is widely reported, and the variations in this property according to the region where it was produced have been mentioned. Thus, the antimicrobial activity of propolis from three Brazilian regions (Botucatu, SP; Mossoró, RN and Urubici, SC) was investigated on isolated strains from human clinical material (Staphylococcus aureus, Escherichia coli, Enterococcus sp, Pseudomonas aeruginosa, and Candida albicans). Ethanolic Extracts of Propolis (EEP) were prepared and the Minimal Inhibitory Concentration (MIC) was determined based on the method of EEP dilution in agar and the MIC90% calculated. Propolis from Botucatu was the most effective against S. aureus (0.3%v/v), Enterococcus sp (1.1%v/v), and C. albicans (2.1% v/v). The effective propolis against E. coli was from Urubici (7.0%v/v), and against P. aeruginosa, from Mossoró (5.3%v/v). The results shows that there are differences in the activity according to the region where the propolis were produced and Gram positive bacteria were more susceptible that Gram negative bacteria.

Descrição

Palavras-chave

Abelha melífera, extratos alcoólicos, bactérias, Candida albicans, Honeybee, ethanolic extracts, bacteria, Candida albicans

Como citar

Ciência Rural. Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), v. 36, n. 1, p. 294-297, 2006.