Show simple item record

dc.contributor.authorCallestini, Edmur Aparecido [UNESP]
dc.date.accessioned2017-01-18T15:22:14Z
dc.date.available2017-01-18T15:22:14Z
dc.date.issued2001
dc.identifierhttp://proex.reitoria.unesp.br/congressos/Congressos/1__Congresso/Sa_de_e_Qualidade_de_Vida/Trabalho21.htm
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/148060
dc.description.abstractO objetivo maior do CAOE é garantir a maximização do equilíbrio biopsicossocial de deficientes mentais, portadores ou não de outras deficiências, e para isto desenvolve suas atividades estruturado em uma sólida equipe "técnica" multidisciplinar. Esta equipe trabalha integrada diretamente à equipe odontológica, apoiando, individualizando e complementando a assistência. Afora este, são objetivos não menos importantes: 1. orientar os familiares dos excepcionais relativamente às suas interrelações pessoais e aos seus problemas de saúde, higiene, habitação e hábitos; 2. orientar alunos, especialistas, pós-graduandos, docentes e a comunidade científica para a prevenção, promoção da saúde e tratamento de pacientes especiais; 3. esclarecer a comunidade leiga sobre os esforços para integrar o paciente especial em seu meio; 4. promover, socialmente, o excepcional através de reuniões de congrassamento entre os vários segmentos da comunidade, envolvendo seus familiares. O Centro foi criado através da Resolução UNESP no. 45 de 10 de setembro de 1.984, tendo iniciado suas atividades em julho de 1.985. Atualmente, assiste mais de 4.500 pacientes procedentes de 280 cidades da Federação. Os profissionais contratados envolvidos são: Supervisor, Vice-Supervisora, Supervisora de Seção de Administração, Analista de Informática, Oficial Administrativo, Recepcionista, Secretária, Programador, Técnico em Aparelho de Precisão, Clínico Geral, Cardiologista, Neurologista, Anestesiologista, Cirurgiões Dentistas, Assistente Social, Psicóloga, Fisioterapeuta, Fonoaudiólogas, Terapeuta Ocupacional, Enfermeira, Auxiliares de Enfermagem, Auxiliares Hospitalares e Auxiliares de Odontologia. Contamos com voluntários nas seguintes especialidades: Cirurgiões Dentistas, Ortopedistas, Pediatra, Biofísico, Otorrinolaringologista e Cirurgião Plástico. Duas funcionárias que realizam a limpeza do Centro, foram contratadas por uma empresa privada, como doação para o Centro e, dois auxiliares de serviços gerais são contratados pela Sociedade Pró-Estudo, Pesquisa e Assistência de Pacientes Especiais - SEPAE, que apoia os trabalhos do Centro. Uma das primeiras medidas adotadas no Centro foi a de informatizar cerca de 400 (quatrocentas) informações de cada um dos pacientes assistidos, visando suas posteriores utilizações em atividades de divulgação leiga e científica. Convém lembrar que, com esse objetivo, o Centro foi um dos primeiros setores da Universidade e o primeiro do país a implantar seu setor de informática com esse objetivo. A filosofia de trabalho relativa às assistências foi a de que os pacientes não deveriam ser "assistidos só por assistí-los", mas assistidos objetivando sua divulgação falada e escrita, a melhoria de sua saúde bucal e geral, da qualidade de vida, e o resgate da cidadania e de seus direitos. Esta filosofia foi reforçada, dia a dia, quando pacientes oriundos de cidades a mais de 1.000 a 2.000 quilômetros do Centro, delas se deslocavam para serem ali assistidos, tornando evidente, de forma gritante, a total marginalização dos portadores de deficiências no campo da assistência médico-odontológica a esses pacientes. A evidência desta situação, levou os técnicos (Cirurgiões Dentistas, Médicos e Profissionais da saúde) do Centro a realizar conferências, palestras, seminários, mesas redondas, simpósios, sobre portadores de deficiências em todo o país. Softwares foram criados pelo Núcleo de Processamento Dedicado do Centro (NPDD) para apoio clínico, bibliográfico e às pesquisas no Centro. A consistência dos dados informatizados permitiram que fossem realizados e orientados pelo Centro, trabalhos de divulgação, de Mestrado, Doutorado e para concurso de Professor Titular. A divulgação dos trabalhos sobre pacientes especiais foi tal que a Coordenadoria de Saúde Bucal do Ministério da Saúde solicitou ao Supervisor do Centro, a preparação de Programa a ser instituído no país para a capacitação de Cirurgiões Dentistas e profissionais de áreas afins na Assistência aos Pacientes Especiais. Em Brasília, o Programa Nacional de Assistência Odontológica Integral ao Paciente Especial foi apresentado e aprovado por representantes dos vários Estados da Federação. Na oportunidade, o CAOE foi indicado como Núcleo de Capacitação no país dos profissionais da Saúde. Paralelamente, Professores Universitários inscreveram-se como alunos do Programa no Curso de Extensão Universitária, em virtude do CAOE, já tido como Centro de Excelência na Assistência e Pesquisa Clínica sobre Pacientes Especiais no país, oferecer as melhores e únicas condições para tal. Os capacitados no CAOE, através do Programa citado, multiplicaram-se pelo país e sentiram a necessidade de implantar pólos de assistência multiprofissional aos Pacientes Especiais. Um dos recursos para apoiá-los foi o de estender a ação do CAOE através de suas Jornadas Brasileiras de Estudos sobre Pacientes Especiais. Seus objetivos têm sido o de alcançar os Governadores, Prefeitos, Deputados, Vereadores, Secretários de Estado e Municípios, além dos profissionais não engajados na problemática da assistência aos Pacientes Especiais. Inúmeros Pólos, Centros e Serviços de atenção a Pacientes Especiais foram, assim, implantados em cidades do país segundo orientações do CAOE. Algumas Disciplinas sobre Pacientes Especiais foram criadas pelos Profissionais, capacitados no Centro, em Faculdades do país. Em 1997, a Faculdade de Odontologia de Araçatuba criou e implantou a primeira disciplina na UNESP sobre "Assistência Odontológica Integrada a Pacientes Especiais", ministrada no último semestre do quarto ano. Neste Curso, os técnicos do Centro, sob a Coordenação do Supervisor, ministraram aulas teóricas e práticas. Não se pode esquecer que os Cursos de Pós-Graduação de Estomatologia e de Odontopediatria em Níveis de Mestrado e Doutorado desta Faculdade, contam com a presença do Centro em suas Disciplinas. Os profissionais do CAOE foram e estão contratados como técnicos, a maioria em tempo parcial, a ser dedicado, exclusivamente, à assistência de seus pacientes. Dessa forma e pelo fato de não serem docentes, não poderiam atuar como docentes e desenvolver as funções inerentes a estes, de ensino e pesquisa. Mas desde 1.986, ou seja, seis meses após o início das atividades deste Centro, a maioria dos profissionais, devido à procura e a necessidade de assistência integral do grande número de pacientes, estão embuidos no desenvolvimento de orientações e esclarecimentos a profissionais, familiares e responsáveis pelos pacientes, através da realização de palestras, conferências, simpósios, seminários, jornadas e programas sobre pacientes especiais, no Centro e por todo o país. Orientam estagiários, alunos e profissionais, coordenam o trabalho de profissionais voluntários, além de ministrarem aulas nos Cursos de Capacitação promovidos pelo Centro, no Curso de Graduação e Pós-Graduação, citados anteriormente. Seus trabalhos apoiam-se nos 400 dados contidos nos prontuários de cada paciente e documentação audio-visual. De sua criação a nossos dias, as assistências tem sido realizadas em elevado nível científico, grangeando o apoio e respeito da classe médico-odontológica e de instituições nacionais e internacionais. Pode ser citado como testemunho deste nível o "Reconocimiento del Instituto Interamericano del Niño (Organização dos Estados Americanos) e Beach Center on Families and Disability (USA), através do prêmio Ëloisa Garcia Etchegoihen de Lorenzo, en San José da Costa Rica, em 1.993, no confronto dos valores didáticos, científicos, assistenciais e filosóficos de 41 instituições de 14 países do continente americano. Os resultados alcançados nesses catorze anos de existência do CAOE abrangem, benefícios relacionados diretamente à comunidade, através da assistência integral contínua de seus pacientes, todos seus familiares ou responsáveis que tem sido amparados pelo Centro ao receberem orientações e esclarecimentos nos vários campos da saúde, relacionamentos familiares e recebimento de auxílios auxílios, através do trabalho sócio-educativo, realizado pelos profissionais, visando maior integração junto à Sociedade e a melhoria da qualidade de vida. Além de ser um Centro de Excelência na Universidade e no país, disponibilizando um dos maiores bancos de dados sobre excepcionalidade, integra alunos e profissionais desta e de outras unidades da UNESP e de outras instituições públicas e privadas através de convênios técnicos - científicos.pt
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.relation.ispartofCongresso de Extensão Universitária
dc.sourcePROEX
dc.titleCentro de Assistência Odontológica a Excepcionais - CAOEpt
dc.typeResumo
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.description.affiliationUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.description.affiliationUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Odontologia (FOA), Departamento de Cirurgia e Clínica integrada, Araçatuba, SP
dc.description.affiliationUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Centro de Assistência Odontológica a Excepcionais (CAOE)
dc.description.affiliationUnespUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Odontologia (FOA), Departamento de Cirurgia e Clínica integrada, Araçatuba, SP
dc.description.affiliationUnespUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Centro de Assistência Odontológica a Excepcionais (CAOE)
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Odontologia, Araçatubapt
dc.identifier.lattes4140750135845742
unesp.departmentCirurgia e Clínica integrada - FOApt
unesp.author.lattes4140750135845742
Localize o texto completo

Files in this item

FilesSizeFormatView

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record